BOJ Kuroda otimista sobre a economia do Japão

Sentimento dos fabricantes tornou-se positiva nos três meses até junho, pela primeira vez em quase dois anos, uma pesquisa do banco central, perto assistido mostrou na segunda-feira, um sinal da recente turbulência nos mercados ainda não magoar o feel-good humor criado pelo primeiro-ministro políticas “Abenomics” de Shinzo Abe de estímulo monetário agressivo e gastos fiscais.
Mas a melhora no sentimento ainda tem que empurrar as empresas para aumentar os salários e empregos, lançando dúvidas sobre se a recente força nos gastos do consumidor é sustentável. Os salários não mostrou crescimento anual para o segundo mês consecutivo em maio.
Gerentes de agências do BOJ irá emitir um relatório trimestral sobre os setores regionais da economia às 6h30, que vai oferecer pistas sobre se os benefícios da “Abenomics” está filtrando através de setores mais amplos da economia.
Falando em uma reunião trimestral de gerentes de agências regionais do BOJ, Kuroda também reiterou o compromisso do banco central para manter a sua política monetária ultra-fácil até a sua meta de inflação de 2 por cento é conseguido de uma forma estável.
“A economia do Japão está em constante caminhando para uma recuperação, uma vez que adotamos nossa flexibilização monetária quantitativa e qualitativa em abril”, disse Kuroda.
“Nós estamos vendo o efeito de nossas políticas, como indicadores que sugerem um aumento das expectativas de inflação”.
Kuroda disse também que a inflação ao consumidor do núcleo, que se manteve praticamente plana, irá gradualmente transformar melhorias refletem positivos na economia.
Seus comentários ressaltam a crescente convicção dentro do BOJ que a economia está no caminho para atingir a projeção do banco central de uma recuperação moderada em meados do ano, que será o pano de fundo para a reunião de política monetária do BOJ próxima semana.
O BOJ deverá situar-se pat em sua revisão tarifária e pode rever a sua visão da economia, fontes familiarizadas com o seu pensamento dizer, em crescente evidência de que o iene fraco e políticas reflacionárias do governo estão a apoiar as exportações eo consumo privado.
O BOJ surpreendeu os mercados em 4 de abril de pôr em movimento uma intensa explosão de estímulo monetário, prometendo dobrar seus investimentos em títulos e aumentar as compras de ativos de risco para cumprir sua meta de inflação de 2 por cento em cerca de dois anos.
A economia do Japão cresceu a uma taxa anualizada de 4,1 por cento no primeiro trimestre, com as exportações em maio aumento no mais rápido ritmo anual em mais de dois anos, ajudado por fortes vendas de automóveis nos Estados Unidos e os benefícios de um iene fraco.
Banco do Japão Governador Haruhiko Kuroda alegou algum sucesso para estímulo monetário agressivo do banco central nesta quinta-feira, dizendo que a economia está a caminho de uma recuperação estável, com sinais expectativas de inflação estão pegando.

EU-Asia